Este é um post longo mas tenta agregar a maior quantidade de informação para ajudar a quem embarca nesta aventura de ir para a Austrália. Escrevo este post um ano depois de ter chegado à Austrália e partilho informações úteis para quem está agora a chegar ao país. Sintam-se livres para comentar e pedir mais informações para adicionar ao post!

“Austrália? Mas isso é tão longe!” Provavelmente a frase que ouvirás mais vezes quando contas os teus planos para os próximos tempos. Antes de mais relaxa a tua familia quanto à bicharada, os perigos reais não fazem justiça à percepção geral das pessoas. Estatisticamente, vacas e cavalos são os principais animais responsáveis por acidentes letais na Austrália, não as cobras e as aranhas. Pelo sim, pelo não, mantém-te alerta!

É muito raro encontrar portugueses a viajar pela Austrália ao contrário de alemães ou franceses por exemplo. Normalmente sou o primeiro português que as pessoas conhecem na Austrália mas eu sei que nós andamos por cá, talvez apenas mais dispersos que as outras nacionalidades. Visto sermos poucos existe pouca partilha de informação entre nós pelo que face à maioria estamos em desvantagem quando procuramos empregos ou apenas dicas rápidas. Espero que este post ajude a quem embarca nesta aventura.

Entra no grupo de facebook dedicado aos tugas com o Work & Holiday na Austrália aqui: Portugueses com o Work & Holiday na Austrália (visto 462)

First Things First

Ah! A ânsia de partir!

Assim que chegares à Austrália existe um conjunto de coisas que deverás tratar nos primeiros dias:

  • Conta bancária – terás que escolher um banco dos inúmeros que existem no país. Convém ter em atenção que para levantar dinheiro numa máquina que não seja do mesmo banco existe uma taxa adicional a pagar. O banco com mais máquinas ATM no país é o Common Wealth mas, por exemplo, também se encontra facilmente o ANZ em qualquer cidade. Antes de abrir a conta pergunta pelas taxas envolvidas em ter a conta aberta e em caso de teres o saldo inferior a um certo limite. Terás ainda que abrir uma conta Superannuation que, por motivos de simplificação, deverá ser no mesmo banco da conta bancária normal. A Superannuation funciona como os descontos para os estado para efeitos de reforma em Portugal. Tipicamente, a entidade empregadora paga uma contribuição indexada ao salário para esta conta (por volta de 9%). Este dinheiro pode ser reavido depois da saída do país sendo que atualmente é taxada em 65% (só se recebe 35% do total na conta Superannuation). Normalmente não é necessário fazer um depósito para abertura de uma conta bancária.
  • Tax File Number (TFN) – Equivalente ao nosso NIF. Para se obter é necessário o registo no site da ATO, aqui. O número é enviado por carta para a morada indicada na altura do registo. Visto que a espera pela carta é eventualmente longa, pode-se contactar via telefone a ATO e pedir que indiquem o TFN, a carta não é necessária para qualquer fim.
  • SIM – Terás que escolher um operador de rede telemóvel (ver próximo ponto)

Telecomunicações

A rede de telemóvel na Austrália faz lembrar a realidade portuguesa no final dos anos 90. É normal obter rede nas cidades sem problemas mas fora delas já se torna numa raridade. Em caso de se estar a viajar pelo país é normal ficar uns dias sem rede e portanto é um meio com o qual não se pode contar a 100%.

O operador com maior cobertura é a Telstra no entanto os planos não oferecem uma grande quantidade de dados. Uma boa opção é a OPTUS que embora não ofereça uma cobertura tão abrangente como a Telstra, não ficará muito atrás. Recentemente optei pela OVO que funciona na rede da OPTUS mas tem uns planos de dados bastante interessantes. O único senão é que apenas enviam o cartão SIM por correio o que demora alguns dias pelo que esta espera é inevitável. Procura estar num sítio paradisíaco enquanto esperas pelo teu cartão :).

A escolha dependerá da preferência/área geográfica de cada um. Caso apenas pretendas bom sinal nas cidades, qualquer operador servirá para o efeito.

Dinheiro

A moeda local é o Dólar Australiano que de momento vale cerca de 0,70€. Aconselho a que tragas dinheiro em Euros ou outra moeda para as primeiras semanas até a conta bancária estar completamente funcional.

Como já referi anteriormente, para obter dinheiro nas caixas ATM (cash out) que não sejam do mesmo banco existe uma taxa adicional a pagar que não é de todo bem-vinda, no entanto existem outras formas de contornar isto:

  • Os supermercados fazem normalmente cash out sem taxas. É inclusivamente normal perguntarem se queremos algum cash out na altura de pagar as compras (o que nos primeiros dias é bastante confuso). Não é preciso fazer compras para obter este serviço, tanto o Coles como o Woolworths fazem cash out sem taxas em qualquer caixa, com ou sem compras.
  • Alguns Pubs, especialmente em zonas mais remotas e pequenas cidades também fazem cash out. Por vezes cobram taxas adicionais mas depende de sitio para sítio
  • Estações de serviço também normalmente fazem cash-out caso se faça alguma compra.

A melhor forma para transferir dinheiro de Portugal para a Austrália é através do Transferwise. Deve-se evitar ao máximo fazer transferências monetárias entre um banco português e um australiano já que são cobradas taxas altíssimas e a taxa de câmbio aplicada não é normalmente a actual. O Transferwise é um site em que o processo de transferência é totalmente transparente, a taxa de câmbio é a taxa real actual e apenas se paga uma taxa que é bastante reduzida e indicada na altura da transferência. A rapidez com que se processa o pagamento é também bastante célere e por isso recomendo vivamente a utilização deste site. Para aderir ao serviço podes usar este link.

Alojamento

Existem milhares de hostels na Austrália pelo que é facílimo encontrar um onde quer que se esteja. Os preços variam bastante de cidade para cidade indo desde os 15$/noite até aos 32$/noite. Alguns hostels oferecem um valor mais económico por semana que rondará os 120$ e os 220$.

Caso estejas numa de poupança máxima existe sempre a hipótese de trabalhar nos hostels em troca de alojamento. Tem atenção à quantidade de horas que necessitas trabalhar para obter o alojamento já que alguns hostels quase pedem trabalho a tempo inteiro em troca de alojamento que vale apenas uma ou duas centenas de dólares.

Em caso de quereres ficar num local a longo termo e não tens paciência para hostels, o mais fácil será encontrar uma share house na cidade onde estiveres. O local mais fácil para encontrar vagas em share houses são os grupos de Facebook das cidades (ex.: Backpackers Brisbane). Os preços desta opção são bastante variáveis de cidade para cidade, localização, número de quartos, etc.

Emprego

Provavelmente o que leva à maior parte dos portugueses a vir para a Austrália. É de facto incrível que se possa viajar durante um ou dois anos e voltar para casa com mais dinheiro que aquando da partida. Os mitos são verídicos, é realmente fácil ganhar dinheiro a trabalhar na Austrália mas convém vir com mente aberta para fazer qualquer tipo de trabalho. Claro que a facilidade em encontrar emprego está ligada às áreas onde os habitantes locais não querem trabalhar.

A minha experiência foi sempre no sentido de arranjar emprego casual e por um curto espaço de tempo porque dei sempre prioridade à flexibilidade para poder continuar a viajar.

O trabalho dos backpackers na Austrália é essencial para a economia local especialmente nas zonas rurais. Trabalhos que requeiram literalmente mão de obra, ou seja, trabalhos físicos, são normalmente os mais fáceis de encontrar nomeadamente: construção civil, mudanças, agricultura, restauração e bares.

O ordenado mínimo é de 22,13 $/h para trabalho casual e de 17,70 $/h para trabalho a tempo inteiro o que faz com que qualquer trabalho seja extremamente bem pago. O imposto sobre o trabalho em vigor para os backpackers é de 15% não reembolsáveis. Os pagamentos são tipicamente feitos semanalmente na conta bancaria juntamente com a contribuição para a SuperAnnuation.

As formais mais eficazes para encontrar trabalho casual na Austrália são as seguintes:

  • Falar com pessoas no hostel que estejam a trabalhar na zona (forma mais eficaz)
  • Grupos de Facebook dos backpackers (ex.: Backpackers Brisbane)
  • Responder a anuncios no site Gumtree https://www.gumtree.com.au
  • Inscrição em agencias de trabalho temporário
  • Evitar ao máximo working hostels

Infelizmente, enquanto portugueses ainda não temos uma reputação em termos de ética de trabalho. Enquanto que um alemão basta dizer que é alemão para ser contratado, um português é por vezes visto com desconfiança. Por isso, temos a responsabilidade de fazer o melhor trabalho possível para que a nossa reputação suba ao ponto de, um dia, sermos automaticamente recrutados como os alemães.

Transporte

O meio de transporte que se adequa melhor à tua viagem dependerá muito das intenções. Em primeiro lugar, as noções de distância na Austrália são totalmente díspares das nossas em Portugal. O que para os locais é perto para nós é como ir de Lisboa ao Porto e isso pode ser confirmado com o número de quilómetros que habitualmente os carros usados têm. Abaixo coloquei os diversos tipos de transporte por ordem de preferência pessoal:

  • Carro – Para mim a melhor opção é comprar um carro. Pessoalmente esta ideia desagradava-me bastante no inicio até que entendi que seria a única forma de apreciar o país. O melhor da Austrália a meu ver são as paisagens e a sua natureza e não há outra forma de visitar estes locais calmamente sem ser com um carro (ou em Tours mas quando queremos passar mais uns minutos a apreciar o local onde se acabou de chegar já é tempo de voltar ao autocarro e ir à próxima (ok, não gosto de tours)). Existe um mercado enorme de carros usados por backpackers à venda por preços que começam sensivelmente nos 1.000$ e que vão até onde for o orçamento disponível. Claro que a compra de um carro acarreta sempre um risco associado pelo que é preciso uma dose de sorte e/ou conhecimento para fazer uma boa compra.
  • Autocarro – Existem duas grandes empresas de transporte com autocarro: A Greyhound e a Premier. A Greyhound é conhecida por ser mais cara mas oferece mais conforto nas viagens com cadeiras mais confortáveis e wifi a bordo (na qual não se pode confiar muito). Estas empresas oferecem ainda passes multi-viagem para quem quer viajar durante algum tempo. Será a melhor opção para quem apenas quer visitar cidades ou quem queira conjugar com tours. Economicamente será mais viável para uma pessoa que viage sozinha face à compra de um carro mas claro, oferece menos flexibilidade.
  • Avião – Os voos domésticos são bastante económicos o que possibilita a opção de assentar base numa qualquer cidade fazendo pequenas viagens a outros locais articulando com tours. No meu ver, embora seja uma boa opção do ponto de vista económico, perde-se perceção das mudanças geográficas de quando se viaja por transporte terrestre e a perceção da real dimensão do país.
  • Comboio – Existem algumas linhas de comboio para passageiros na Austrália mas este será por ventura o meio de transporte menos flexível e economicamente menos viável. Será melhor caso utilizado para curtas distâncias. Para quem se interesse por atravessar o Outback Australiano, existe uma linha chamada The Great Southern Rail que faz cerca de 3000 km desde Darwin até Adelaide, portanto, coast-to-coast. Embora seja uma solução interessante acaba por ser bastante cara e pouco flexível.
  • Boleia – Numa das primeiras páginas do Lonely Planet Australia dizem para nunca apanhar boleias na Austrália e isso é realmente algo a ter em mente. Mas há formas de apanhar boleia com segurança. Os grupos de facebook dos backpackers em cada cidade estão normalmente carregados de anúncios de pessoas à procura e a oferecer boleia. Normalmente dividem-se os custos pelas pessoas e acaba por ser uma forma bastante económica (mais barata que os autocarros) de viajar e conhecer outras pessoas. Tenta encontrar pessoas com os mesmos planos que tu e certamente serão momentos inesquecíveis.
  • Car Relocations – As empresas de aluguer de carros oferecem alugueres de muito baixo valor para realocar os seus carros de volta aos seus pontos de partida. Existe sempre um limite de dias para fazer a viagem mas este limite pode ser ultrapassado por uns dias pagando um valor que normalmente também é convidativo. Pode ser uma das melhores opções para grupos de pessoas que não tenham carro.

Onde começar?

Uma das minhas grandes dúvidas quando decidi embarcar nesta aventura foi em que sítio começar a viagem. Visto não conhecer ninguém no país esta escolha tornou-se mais difícil ainda e sinceramente não fiz a melhor escolha.

A minha prioridade no início era testar as águas quanto a arranjar emprego para me sentir mais confortável economicamente ao longo da viagem. Com base nesta premissa, decidi começar em Darwin visto uma amiga de um amigo ter trabalhado numa quinta nessa zona – Problema: cheguei mesmo na pior época do ano para as quintas que existem no Northern Territory e não havia emprego, apenas muito calor.

Caso as tuas intenções sejam parecidas às minhas e queiras trabalhar numa quinta para ganhar dinheiro ou mesmo para fazer os 88 dias e obteres o segundo ano de visto, consulta o site Harvest Guide. Este site é tipo o Borda d’água Australiano e dá uma noção das melhores alturas para arranjar emprego nos diversos estados australianos.

Caso pretendas outro estilo de começo para a tua viagem partilha as tuas ideias no nosso grupo de Facebook e certamente chegaremos a um consenso.

Tens mais questões que gostarias de ver respondidas? Comenta o post no Facebook com outras questões que tenhas!

Facebook Comments